Conheça a Escola Austríaca, uma das mais importantes correntes do pensamento econômico do mundo, e cujos princípios podemos ver em muitas das facetas econômicas do mundo das criptomoedas.

Eno mundo da economia, uma das escolas de economia mais conhecidas é a Escola Austríaca, cujo início ocorreu na cidade de Viena no ano de 1871.

Tudo nasce com a publicação de Princípios de Economia de Carl Menger, um Doutor em Direito e Economista que se tornaria a gênese desta corrente.

Desde então, a Escola Austríaca ganhou grande popularidade entre aqueles indivíduos que possuem fortes posições heterodoxas baseadas principalmente no individualismo metodológico e no subjetivismo, além de ser anti-intervencionista e promotor do liberalismo econômico. Mas também ganhou espaço em pessoas com pensamentos libertários e anarco-capitalistas.

Mas Qual é a história, seus ideais e quem são os principais expoentes desta Escola? Como esta escola está relacionada ao Bitcoin e à filosofia das criptomoedas? Sem dúvida duas perguntas interessantes que responderemos neste novo artigo da Bit2Me Academy.

Carl Menger a mente por trás do nascimento da Escola Austríaca de Economia

Origem da Escola Austríaca

Como já comentamos, a Escola Austríaca teve origem em Viena no final do século 1871, em XNUMX para ser mais exato. Naquela época, Carl Menger apresentou seu trabalho Princípios de Economia.

Rapidamente personalidades como Eugen Böhm von Bawerk, Friedrich von Wieser e outros aderiram à sua corrente de pensamento e com ela nasceu a Escola Austríaca.

  • Eugen Böhm von Bawerk

Entre as idéias originais desta escola está que a ciência econômica é derivada da lógica filosófica. Com essa ideia em mente, os economistas austríacos acreditam que o desenvolvimento de uma teoria econômica sólida requer começar com princípios lógicos fundamentais e bem estabelecidos. Essa era uma visão contrária ao que defendia a Escola Histórica Prussiana, sendo um ponto forte de confronto ideológico nesse sentido para a época.

No entanto, hoje a maioria dos economistas de hoje pratica muitas das ideias que a Escola Austríaca criou e promoveu naqueles primeiros anos, deixando claro o enorme impacto que teve na economia de hoje.

No entanto, no século 70, uma nova corrente surgiu entre os economistas ortodoxos, o que levou à marginalização da Escola Austríaca. Foi somente com a crise dos anos 1974 e com a obra de Friedrich Hayek, Prêmio Nobel de Economia em 2008, que "a Escola" novamente teve um grande boom. Um boom que foi mais uma vez catapultado com a chegada da crise financeira global de XNUMX. Nessa época, a Escola Austríaca e seu pensamento heterodoxo voltaram a ganhar importância e relevância na economia mundial.

Princípios da Escola Austríaca

O princípio mais importante da Escola Austríaca é o individualismo metodológico. Isto é, os defensores dessa corrente acreditam que todos os fenômenos sociais são explicáveis ​​pelas ações dos indivíduos. Essa corrente de pensamento parte da ideia de que a matematização da economia e do empirismo é possível. Em vez disso, os economistas austríacos optam por fazer deduções a partir de axiomas evidentes ou de fatos irrefutáveis.

Para este método, desenvolvido por Ludwig von Mises en "Ação Humana", é chamado de praxeologia ou a lógica da ação. A praxeologia é uma metodologia que busca estudar a estrutura lógica da ação humana consciente. Sua afirmação mais importante neste sentido é que o ser humano é um ser de racionalidade perfeita e, por isso, as ideias de racionalidade limitada são sua antítese. Os economistas austríacos, por outro lado, rejeitam a divisão entre macroeconomia e microeconomia, considerando que esta deve explicar a primeira.

As descobertas da Escola Austríaca frequentemente levam à defesa de políticas econômicas liberais não intervencionistas. Concluem que o mercado produz e distribui recursos melhor do que o Estado.

Principais expoentes da Escola

Estes são os principais autores no desenvolvimento da Escola Austríaca:

  • Carl Menger (1840-1921). Fundador da Escola e teórico do marginalismo.
  • Friedrich Hayek (1899-1992). O rosto mais conhecido da Escola Austríaca. Prêmio Nobel em 1974.
  • Eugen von Böhm-Barwerk (1851-1914). Teórico sobre capital e juros.
  • Ludwig von Mises (1884-1973). Criador da praxeologia e crítico do socialismo.
  • Murray Rothbard (1926-1995). Defensor do anarco-capitalismo e escritor fecundo.
  • Jesus Huerta de Soto (1956-). Teórico do ciclo econômico, defensor do padrão ouro e maior representante do anarco-capitalismo na atualidade.

Principais contribuições

Uma das principais contribuições da Escola Austríaca foi desenvolvida pelo próprio Carl Menger, e é a chamada "Revolução Marginalista". Esta ideia argumentou que o valor de um bem dependia da utilidade atribuída a ele por cada agente. Mas essa utilidade é subjetiva e dependerá da intensidade das necessidades que cada indivíduo deseja satisfazer. Com o desenvolvimento da teoria do valor subjetivo, as diferentes teorias do valor objetivo foram encerradas, principalmente com o valor do trabalho, base do sistema marxista e oriundo de economistas clássicos como David Ricardo.

Esta "Revolução Marginalista" levou a outra contribuição crítica para as ideias econômicas da época, desta vez falamos sobre "Teorema da impossibilidade do socialismo". Este teorema foi desenvolvido por Mises e Hayek e nos diz que o socialismo é teoricamente inviável. Segundo esses autores, a razão é que o socialismo e suas teorias apresentam sérios problemas de informação que o inviabilizam. Argumentaram que esta situação responde ao fato de que em um sistema econômico socialista não existem informações sobre preços e lucros. Essa quebra na cadeia de informações econômicas leva inexoravelmente ao uso ineficiente de recursos e ao subsequente declínio econômico.

Sobre o ciclo de negócios

Outra das contribuições mais importantes da Escola Austríaca é o seu explicação do ciclo de negócios. A teoria austríaca, nesse sentido, nos diz isso;  os ciclos são iniciados por uma expansão artificial do crédito não respaldada por economias anteriores. Isso é o que acontece quando os bancos centrais reduzem as taxas de juros ou imprimem dinheiro. Taxas de juros baixas levam a um superinvestimento em atividades que não seriam viáveis ​​com as taxas de juros em níveis normais.

No entanto, isso cria um falso boom econômico, um boom que termina no estouro de uma bolha quando o crédito barato é cortado abruptamente. Nesse ponto, os recursos (capital e trabalho) destinados à bolha devem ser realocados para projetos realmente produtivos. No entanto, esta não é uma tarefa simples, pois esses recursos são heterogêneos e não podem ser realocados de um setor para outro facilmente. Essa situação acaba levando à perda de valor e, portanto, a uma depressão econômica.

A Escola Austríaca e as criptomoedas

As idéias libertárias e anarco-capitalistas que a Escola Austríaca defende estão intimamente relacionadas ao desenvolvimento de criptomoedas. Na verdade, as teorias do dinheiro da Escola Austríaca apresentadas por Carl Menger, criador desta escola, destacam as seguintes características que o dinheiro deve ter:

  1. O dinheiro deve ter uma demanda não monetária prévia. Isso significa que o dinheiro deve ser sobre bens que têm uma demanda além de seu uso monetário, uma vez que seu valor não monetário é anterior ao uso monetário.
  2. Deve ter ótimas acessibilidades. Nesse ponto, Menger enfatiza que deve ser possível obter aquele determinado bem de forma simples. Além disso, sua obtenção e exploração não devem ser legalmente restringidas.
  3. Um meio de fácil transformação. Isso significa que o dinheiro pode ser usado como uma unidade de conta, mas também deve ser possível retirá-lo do tesouro em porções homogêneas.
  4. Tesourabilidade. Nesse sentido, Menger nos diz que o dinheiro deve manter seu valor ao longo do tempo, mas também deve ter a capacidade de depreciar uma parte sem diminuir o valor do dinheiro restante.
  5. Escassez relativa. Esse ponto nos diz que o dinheiro deve ser visto como uma reserva de valor, uma vez que um grande aumento na produção global reduziria significativamente a riqueza pessoal.
  6. Estabilidade de valor. O valor do dinheiro deve ser estável às mudanças geográficas, temporais ou de quantidade.

Seu papel fundamental em criptomoedas

A maioria das criptomoedas respeita esses conceitos ou se conformam a eles, revelando a forte relação que seus sistemas econômicos têm com a Escola Austríaca. De facto, muitos consideram que as criptomoedas são uma expressão anarco-capitalista, mas esta corrente deve o seu nascimento em parte às teorias da Escola Austríaca, com as quais em muitos casos enquadra um modo de pensar, uma visão da economia e o seu impacto no mundo. .

Colocado desta forma, podemos pensar que as pessoas gostam Satoshi Nakamoto, e quem o ajudou a criar este criptomonedas, eles estavam claramente em dia com essa corrente de pensamento, talvez até influenciados, ou talvez apenas coincidência. A verdade é que os resultados dessas ideias parecem ser vistos no mundo atual das criptomoedas.

Quanto você sabe, cryptonuta?

O impacto da Escola Austríaca na teoria econômica das criptomoedas é realmente mínimo?

FALSO!

Os princípios defendidos pela Escola Austríaca são essenciais no mundo econômico das criptomoedas. Por exemplo, a aplicação da perspectiva austríaca da "Teoria dos Jogos" é fundamental para o funcionamento econômico das criptomoedas.

O que você acha?

Não esqueçamos que estamos falando de correntes de pensamento que devem ser contextualizadas em seu tempo. A sociedade avança tecnologicamente e o contexto varia, tanto que (às vezes) não é entendido da mesma forma.

Queremos dizer que você não deve mais entender o mundo da mesma forma que eles lhe ensinaram. Você pode imaginar um governo / estado que fosse um DAO que regulasse e distribuísse as coisas de forma transparente? É possível que, nesses casos, o "estado" matemático seja mais preciso do que uma empresa privada? Os "partidos" trabalhariam por 4 anos desenvolvendo um DAO em que a sociedade votaria de forma transparente para governá-los.

Pensando a sociedade com os esquemas "Mundo antigo", onde as pessoas são classificadas nos lados esquerdo e direito, eles ainda são válidos? Bitcoin e tecnologias como inteligência artificial com redes neurais artificiais, robôs fazendo nosso trabalho, deslocamentos constantes, fronteiras cada vez mais inexistentes, mostram que o modelo ideológico tradicional também está falido.

Reinicie sua mente descarregando lastro do passado, estude o que está por vir e pense livremente.

A Escola Austríaca acreditava que os modelos socialistas eram contrários ao crescimento econômico, mas a China (que é governada pelo Partido Comunista) é hoje praticamente a primeira potência mundial, enquanto os Estados Unidos entram em colapso. Eles se dizem comunistas, outros dizem que não. Isso importa? Todas as pessoas de camisas amarelas pensam o mesmo? É realmente tão simples quanto rotular algo com um nome para o que diz, diz que é ou o resto pensa que é? Ou são os excessos da intelectualidade para categorizar, como se fôssemos robôs, a entropia pura e variável do ser humano?

O que você acha? Deixe-nos saber sua opinião nos comentários.