Uma das ferramentas financeiras recentes movidas pela tecnologia blockchain é o token de capital, que é conhecido por “ação do século XNUMX”. Saiba do que se trata esta ferramenta, quem a utiliza e suas vantagens em relação a outras ferramentas conhecidas.

Un token de patrimônio é um tipo de token de segurança funciona mais como um ativo de ações tradicional. Em outras palavras, aqueles que possuem tokens de capital possuem alguma forma de propriedade em seus investimentos. Cada token representa uma porcentagem da propriedade que eles realmente têm. Na maioria dos casos, os tokens de patrimônio representam um ativo, propriedade ou empresa de terceiros.

Esses tokens podem ser representados de várias maneiras, mas os mais comuns são:

  1. Ações
  2. Futuros
  3. Opções Contratos
  4. Imóveis Tokenizados
  5. Empresas tokenizadas

Eles geralmente se referem a tokens de patrimônio como “A ação do século XXI”. Isso ocorre porque, graças aos tokens de ações, os detentores não apenas têm direito à propriedade, mas também a uma parte dos lucros da empresa e o direito de votar no seu futuro. A única diferença significativa entre um token de patrimônio e uma ação tradicional é o método de registro de propriedade. Um estoque tradicional é registrado em um banco de dados e pode ser acompanhado por um certificado em papel. Um token de patrimônio, por sua vez, é registrado em um blockchain.

Por que os tokens de patrimônio foram criados?

Com o surgimento da tecnologia blockchain, muitas empresas consideraram que poderiam levar o modelo de Oferta Pública Inicial (IPO) para um novo esquema operacional. Para conseguir isso, os tokens de capital foram criados. Esses tokens são uma representação blockchain da propriedade de um ativo. Com ele as empresas podem emitir ações e direitos de voto em uma blockchain. Tudo com o objetivo de impulsionar o mercado. Além disso, um credor pode criar tokens que representam a dívida que a empresa possui, criando assim um ambiente de negociação favorável para eles.

Outro ponto a favor do token de patrimônio é que pode ser oferecido por meio de um canal público ou privado. Essa grande flexibilidade também é acompanhada por capacidade de garantir os direitos dos investidores, que não apenas participam do desenvolvimento da rede blockchain, mas também recebem pagamentos monetários com base no desenvolvimento do token no mercado de criptomoedas.

Finalmente, tokens de patrimônio são intercambiáveis ​​e são gerenciados por uma entidade reguladora no seu país de emissão. É todo esse grupo de vantagens que levou à criação de tokens de patrimônio no mundo financeiro da blockchain.

Como os tokens de capital são emitidos?

Para emitir um token de patrimônio, é necessário executar uma série de procedimentos. Isso ocorre porque os tokens de ações precisam respeitar os regulamentos de cada país para realizar campanhas de compra e venda de ações ou valores mobiliários. Essas campanhas são chamadas de ETO (Equity Tokens Offer). Entre essas etapas, podemos citar:

  1. Em primeiro lugar registrar em uma plataforma de troca. Esta etapa permitirá que a empresa emita seu token de patrimônio e registre todas as suas informações.
  2. Declarar disposições comerciais. Como todas as plataformas de investimento, um ETO não pode ser realizado sem antes definir os termos comerciais. Isso significa que a empresa de blockchain deve informar os potenciais investidores sobre os termos e disposições do investimento.
  3. Executar um pré-ETO. Essas campanhas foram projetadas para oferecer uma certa quantidade de token em particular. Seu objetivo é reconhecer o impacto que a ETO tem. Se a venda privada atingir o nível desejado, essa atividade será suficiente; caso contrário, a venda pública será finalmente realizada.
  4. Ofertas Públicas. Esta oferta é necessária apenas quando a meta de coleta não foi atingida na oferta privada. Nesse ponto, o público em geral, como empresas e investidores individuais, pode comprar o restante dos tokens. Depois disso, é assinado um acordo vinculativo entre as partes, pelo qual os investidores se tornam proprietários legalmente reconhecidos dos tokens adquiridos.

Alguns exemplos de tokens de capital

Alguns exemplos atuais de empresas que realizaram ETO e gerenciam o token de patrimônio são os seguintes:

  1. Neufund
  2. A Moeda de Private Equity do Elefante
  3. Fatia
  4. Documo
  5. BFToken
  6. The DAO
  7. Token RRT

Quanto você sabe, cryptonuta?

A criação de tokens de patrimônio é uma opção complementar aos tokens de segurança?

VERDADEIRO!

Os tokens de segurança são, sem dúvida, uma opção poderosa para representar títulos e, em última análise, são uma ferramenta criada para representar ações tradicionais. Mas os tokens de patrimônio vão um passo além, permitindo que os compradores acessem certos direitos que os tokens de segurança não têm, especialmente porque o patrimônio representa a "propriedade" de um título, enquanto os tokens de segurança não estão em conformidade com dita propriedade.

Vantagens dos tokens de capital

  1. É uma opção amplamente testada. Sua semelhança com a emissão tradicional de ações e sua forte regulamentação atestam ser uma opção segura.
  2. Permite controlar, manter ou dar controle. A emissão do token de patrimônio pode levar à venda de ativos que permitem que os compradores participem ou não das decisões da sua empresa ou atividade.
  3. Mantém seu valor. Os tokens de patrimônio mantêm seu valor enquanto sua atividade ou empresa mantiver sua operação.
  4. Permite que os interesses dos investidores sejam alinhados com os da empresa.

Este artigo faz parte de Tokenization de curso gratuito, NFT e ICOs.

Acesse o curso, adquira amplo conhecimento em tokens e obtenha seu Diploma Certificado por Bit2Me.