A chave pública (denominda em inglês como public key) é uma das duas chaves que participam na codificação de informações, quando usamos um procedimento de encriptação do tipo de criptografia assimétrica.

A criptografia assimétrica é um componente essencial para o funcionamento das criptomoedas, como a Bitcoin, e sem ela as demais não poderiam existir como as conhecemos. A criptografia assimétrica permite gerar um par de chaves, que não são mais do que duas cadeias de texto codificadas criptograficamente, designadas de chave privada e chave pública, sendo a segunda na qual nos concentraremos nesta explicação.

Algo essencial que se deve entender é que a chave privada e a chave pública estão matematicamente relacionadas, sendo que a chave pública é sempre gerada a partir da chave privada. Portanto, ambas as chaves estão diretamente vinculadas, mas é impossível calcular ou deduzir a chave privada da chave pública.

Graças ao algoritmo SHA256, se alguém quiser enviar uma mensagem encriptada, só precisará de saber a sua chave pública. Com ela, consegue encriptar a mensagem e somente você poderá decifrá-la com a sua chave privada.

Colocamos o caso do Felipe querer enviar uma mensagem encriptada para o Júlio. Para isso, o Felipe encripta a mensagem com a chave pública de Júlio. Isto permite que apenas o Júlio decifre a mensagem, o que fará através da sua chave privada, que por sua vez serviu para criar a sua chave pública (a que ele deu ao Felipe).

Nós, os utilizadores, podemos dar a nossa chave pública aos nossos amigos, familiares, vizinhos ou a um estranho do outro lado do mundo. E essas pessoas podem encriptar uma mensagem que só nós podemos decifrar com a nossa chave privada.

A chave pública pode ser partilhada sem grandes problemas: quando queremos receber criptomoedas, devemos partilhar a chave pública com o usuário que deseja enviá-las para nós. Se quisermos enviar recursos para outro usuário, precisaremos da sua chave pública. Não há risco de partilhá-la, além de que muitos usuários publicam-nas nas redes sociais ou no seu blog para receberem doações.

Como tudo isto afeta as criptomoedas?

As criptomoedas aproveitam o grande potencial da chave pública para gerarem endereços, com o objetivo de poderem ser partilhadas publicamente. No entanto, criptomoedas como a Bitcoin, usam um algoritmo mais especializado com o objetivo de criar endereços, e designa-se de ECDSA (Algoritmo de assinatura digital de curva elíptica).

Devido à forma de funcionamento da chave pública em criptografia assimétrica, podemos obter endereços Bitcoin que podem ser entregues a todos sem o risco de alguém aceder aos nossos fundos, uma vez que somente o dono da chave pública (que na teoria também deve ser o único que têm a chave privada), terá acesso às criptomoedas para geri-las como achar melhor.

Na verdade, a Bitcoin simplifica isso fazendo uma conversão do endereço que realmente partilha, no endereço onde recebe as bitcoins. O software é o responsável por preparar a transação, para que apenas o receptor possa aceder aos fundos, porque é o único que tem a chave privada.

Este nível de segurança, que pode parecer difícil de entender, oferece uma segurança muito elevada e garante que nenhum agente externo mal-intencionado aceda ao nosso dinheiro para roubá-lo.

Este articulo foi util?
Average Scoring: 0
➜ Share the knowledge and promote the decentralized revolution!