Uma bolsa descentralizada ou DEX é a evolução tecnológica de uma bolsa tradicional. Em uma bolsa descentralizada, todas as suas operações são transferidas para o da tecnologia blockchain rodando em poderosos contratos inteligentes, com os quais tudo é tratado dentro da plataforma.

Tentão se você é novo no mundo de criptomonedas y da tecnologia blockchain, ou pelo contrário, você já conhece, é muito provável que você já tenha ouvido falar sobre trocas. Estas são casas de câmbio digital onde você pode trocar criptomonedas e tokens para dinheiro fiduciário ou para outras criptomoedas. E onde o valor das criptomoedas é determinado pela oferta e demanda do cripto ativos no mercado.

Mas O que são trocas descentralizadas (DEX)? Hoje se fala muito sobre esse tipo de troca, principalmente devido ao nível de segurança que eles oferecem ao usuário e até ao anonimato.

Trocas descentralizadas, também conhecidas como DEX, São plataformas digitais que funcionam como trocas tradicionais. Mas, diferentemente das trocas tradicionais, um serviço opera no centro do serviço. contrato inteligente. Isso elimina os intermediários em grande medida, tornando-os mais seguros e transparentes. Simplificando, uma troca descentralizada, ou DEX, é uma troca de criptomoedas operada por smart contracts.

Isso significa que a confiança e a gestão dos fundos não caem em uma figura central. Pelo contrário, os usuários da bolsa mantêm o controle de seus ativos o tempo todo. Um recurso que adiciona um alto nível de segurança, privacidade e até anonimato ao operar neste tipo de casas de câmbio.

Mas como obtemos as trocas tradicionais ou trocas descentralizadas? Que outras vantagens a DEX nos oferece? Bem, vamos dar uma olhada na história por trás dessas trocas descentralizadas.

Origem das trocas descentralizadas

As trocas de criptomoedas evoluíram muito desde a criação da primeira dessas plataformas. Inicialmente, trocas como Mt Gox. seguiram um modelo centralizado de gestão e interação. Ou seja, a bolsa controlava os fundos que temos nela. E para realizar as operações era necessário fazer login. Isso obviamente termina com descentralização de criptomoedas e cria sérios problemas de segurança, como o hack Mt Gox nos mostrou.

Para enfrentar esse e outros problemas apresentados pelas trocas centralizadas, nasceram trocas descentralizadas. Das primeiras plataformas desse tipo foram OmiseGo e BitShares, que começaram a ser desenvolvidas em 2013. Cada uma delas com diferentes funções e capacidades, mas com o mesmo objetivo: iniciar a revolução das trocas descentralizadas. Mas chegar a esse ponto exigiu uma evolução no tempo que descreveremos abaixo.

Tipos de trocas

Agora, a evolução das trocas criou três tipos de trocas ou gerações, bem diferenciadas. Estes são:

  1. Primeira geração: Apesar de ser um conceito relativamente novo, as trocas descentralizadas já possuem versões diferenciadas. Por um lado, temos trocas tradicionais, estas são centralizadas, você deve enviar suas criptomoedas perdendo o controle absoluto delas e confiando cegamente no bom trabalho da plataforma. Podemos chamar essas trocas centralizadas, mas também de primeira geração.
  2. Segunda geração: Por outro lado, encontramos as trocas descentralizadas mais básicas, as de segunda geração. Isso muda a peça central de um contrato inteligente, encarregado de realizar as trocas. Por mais inteligente que seja o contrato, todos podem ver como funciona. No entanto, nesses contratos inteligentes, você deve enviar suas criptomoedas, perdendo a posse delas durante o tempo que desejar fazer as trocas.
  3. Terceira geração: Uma nova geração de trocas descentralizadas aprimora esse último ponto, permitindo que você não precise enviar suas criptomoedas para qualquer lugar, apesar de poder abrir ordens de troca com elas. Nós os chamamos de trocas de terceira geração. Da mesma forma, eles agem através de um contrato Smart no epicentro da ferramenta, mas isso permite que você mantenha criptomoedas em sua carteira o tempo todo, portanto, se esses tokens lhe derem dividendos ou opções para votar em um DAO, você pode fazer isso até o último milissegundo da troca.

Tecnologias blockchain para DEX

Embora Ethereum É a plataforma mais usada para esse tipo de desenvolvimento, devido ao grande número de projetos (fichas y DApps) sendo construído em cima dele, existem outros blockchains que permitem isso também, incluindo Bitcoin através do projeto contraparte. Algumas outras blockchains que permitem criar plataformas de trading descentralizados são: Stellar, Komodo, Waves, BitShares, NEO ou queimando entre outros.

Quanto você sabe, cryptonuta?

As trocas descentralizadas são mais seguras?

VERDADEIRO!

Começando com o fato de que as trocas descentralizadas não solicitam dados pessoais e que os fundos nunca deixam de estar sob seu controle absoluto, não há dúvida de que as trocas descentralizadas (DEX) são muito mais seguras do que suas contrapartes centralizadas.

Vantagens DEX

Confiabilidade

Todos podem ver de forma transparente como funciona o serviço, como ele vai agir em qualquer situação e ver em tempo real o que acontece dentro dele, sem manipulações.

Segurança e proteção

Todos os anos, centenas de milhões de euros são roubados de trocas centralizadas. Somente em 2018, mais de 1000 bilhão de euros foram roubados de trocas centralizadas.

No DEX, os contratos inteligentes podem ser implementados como proteção contra golpes e fraudes. Assim, ao estabelecer um contrato com determinadas condições a serem cumpridas, as partes envolvidas na troca devem obedecer a essas condições para que a operação seja executada. Em caso de violação de uma ou de todas as condições, o contrato expira e não é executado. O melhor de tudo é que esses contratos, uma vez agendados, são executados automaticamente e descentralizados.

Além disso, os DEXs funcionam através de uma rede de computadores interconectados entre si, da mesma maneira que uma rede blockchain. Portanto, eles têm alta proteção contra hacks ou ataques de computador que ameaçam a integridade dos fundos dos usuários.

No entanto, trocas descentralizadas (especialmente as de segunda geração) também podem ser roubadas, pois todos os fundos são mantidos por um contrato inteligente que pode conter falhas, como o famoso roubo bilionário The DAO.

anonimato

Um alto grau de anonimato é outra vantagem que eles podem oferecer. Isso ocorre porque uma troca descentralizada (DEX) usa apenas endereços para realizar transações e trocas. Sem exigir que os usuários forneçam dados e informações pessoais.

Robustez

Outra vantagem das trocas descentralizadas é sua robustez e solidez. A probabilidade de uma falha do sistema DEX é quase nula; para que os usuários não precisem se preocupar com esse problema. Isso ocorre porque os DEXs não operam com um único servidor, como é o caso das trocas centralizadas.

Desvantagens ou desvantagens do DEX

Usabilidade

No início, se você não tiver o conhecimento, a plataforma DEX pode parecer confusa e difícil de operar. Portanto, quase sempre é necessária a orientação ou instrução de um usuário especialista para entendê-lo e começar a operar com ele.

Limitado

Uma troca descentralizada (DEX) não é usada para fazer trocas entre criptomoedas de diferentes blockchains. Dado que Ethereum É a rede com mais tokens, as exchanges descentralizadas mais famosas são dessa rede. Mas, por exemplo, você não pode trocar Bitcoin por Ethereum, apenas tokens Ethereum por outros tokens Ethereum.

Tipos de pedidos

Os tipos de pedidos que podem ser feitos em uma troca descentralizada são muito limitados, podendo fazer apenas pedidos do tipo Limit e Market.

tempo de operação

Como as operações de câmbio ocorrem dentro do mesmo blockchain no DEX, seu processo é muito mais lento do que em uma troca centralizada. Portanto, uma troca descentralizada não pode gerenciar alta frequência.

Liquidez

A coisa mais importante sobre uma plataforma de negociação é a liquidez, que por sua vez gera spreads baixos. Uma troca descentralizada (DEX), devido à sua falta de capacidade de manipulação, geralmente possui pouca liquidez, gerando, por sua vez, pouca tração que volta a pouca liquidez e altos spreads. Algo que afasta qualquer usuário.